• Primeiro de Muitos

    Não estamos mais numa era de proibições para ambicionarmos uma revolução sexual. Os panos já não cobrem tanto os corpos, aparentemente felizes.

    Homens e mulheres desnudos caminham ignorantes, diante da complexidade que tem sido viver num mundo esvaziado de encontros e contato físico. Ansiedade, pânico, angústia… corpo desamparado frente à falta de sentido. Estamos livres sem saber onde ir! Perdemos a propriedade de nossas vidas e, com isto, a capacidade de sermos intensos e autênticos. Inseguros, já não nos sentimos inteiros e interessantes o suficiente para fazermos uso do corpo com tamanha propriedade. Em desuso, acabamos à mercê de manipulações sociais e religiosas, que ora o transforma em culpa, ora em negócio rentável.

    A revolução que urge é outra: É individual ! Uma inciativa existencial no sentido inverso do que te propõem, quando te ofertam identidades pré-fabricadas de felicidade. Está na hora! Respire e busque o teu centro. Descubra o quanto a diferença te torna único(a) e encantador(a). Faz tempo que você não ousa sustentar sua singularidade?

    O caminho é delicioso e sem volta. O resultado é indiscutivelmente a liberdade tão prometida e pouco autorizada. COURAGE!

  • Manifesto

    Mais do que uma loja, a Luxúria é um espaço sofisticado e sensual, alinhado com os ideais de uma prática sexual livre e responsável. Além da compra de produtos cuidadosamente selecionados, reflexões e quebra de paradigmas farão parte dos debates e conteúdos produzidos. Excitante, estimulante e desconfortável, proporá a quebra de paradigmas que insistem em se sustentar numa sociedade ultra moderna, que paradoxalmente acabou por banalizar a sexualidade, deixando escapar o erotismo, ingrediente indispensável no jogo sexual livre e consentido. Como um bom começo, contribuirá no importante movimento de desmistificar a ideia da interdição pela culpa e tabus sedimentados ao longo da história, desta forma, empoderando todos os sujeitos a viverem, de forma autêntica e sedutora, o prazer e a sensualidade, libertos dos ditames sociais que tanto os têm aprisionado.